PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Constituinte venezuelana anulará partidos que boicotarem eleições

20/12/2017 22h48

Caracas, 21 dez 2017 (AFP) - Os partidos políticos venezuelanos que se negarem a participar de eleições deverão iniciar um novo processo de inscrição para poder concorrer novamente, decidiu nesta quarta-feira a Assembleia Constituinte.

"As organizações políticas, para participar dos processos eleitorais nacionais, regionais ou municipais, deverão ter concorrido nas eleições do período constitucional de âmbito nacional, regional ou municipal imediatamente anterior", decretou a Constituinte, que rege a Venezuela como poder absoluto.

Delcy Rodríguez, presidente do órgão integrado apenas por governistas, afirmou que o decreto "incentivará a participação dos partidos nos processos eleitorais, visando fortalecer a democracia".

"Partido que não se envolve nos processos eleitorais não pode participar da seguinte eleição. Simples assim", disse à imprensa o constituinte Iris Varela.

A reinscrição dos partidos deverá ocorrer junto ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE), acusado pela oposição de servir ao governo.

Os partidos Vontade Popular, de Leopoldo López (em prisão domiciliar); Primeiro Justiça, do ex-candidato presidencial Henrique Capriles, e Ação Democrática, de Henry Ramos Allup, ex-presidente da Assembleia Nacional, não participaram da eleição municipal do dia 10 de dezembro.

Os três partidos são a base da aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

A presidente da Constituinte não precisou se o decreto tem efeito retroativo.

Internacional