PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Merkel e SPD precisam chegar a acordo na Alemanha até 12 de janeiro

20/12/2017 21h14

Berlim, 20 dez 2017 (AFP) - Nesta quarta-feira (20), os conservadores de Angela Merkel e os social-democratas fixaram o prazo até 12 de janeiro para chegar a um acordo para formar governo na Alemanha.

"As primeiras negociações exploratórias começarão em 7 de janeiro com o objetivo de apresentar um resultado em 12 de janeiro", indicaram ambos os partidos em um comunicado após se reunir em Berlim.

Essas negociações preliminares serão determinantes para saber se a Alemanha poderá superar o impasse no qual se encontra desde as eleições legislativas de setembro, quando não se obteve maioria clara na Câmara Baixa do Parlamento.

Merkel, que ganhou as eleições e aspira a um quarto mandato, fracassou em sua tentativa de formar uma coalizão com os liberais do Partido Democrático Livre (FDP) e os ecologistas em novembro.

Agora espera poder repetir a grande coalizão que formou com os social-democratas (SPD) nos últimos quatro anos, embora o partido de centro-esquerda se mostra reativo a regressar ao governo após obter resultados historicamente baixos nas eleições de setembro.

Diante da resistência das bases de seu partido, o líder do SPD, Martin Schulz, apenas deu seu aval a negociações prévias e não descartou a possibilidade de apoiar um executivo em minoria de Merkel sem entrar nele, uma opção rejeitada pela chanceler.

Schulz, de 62 anos, prometeu que defenderia demandas chaves do SPD como uma reforma da União Europeia, mudanças nos seguros médicos e no âmbito educacional e a defesa do reagrupamento familiar para os refugiados na Alemanha.

A União Democrata Cristã (CDU) de Merkel, seus aliados bávaros da CSU e o SPD concordaram nesta quarta-feira em manter negociações exploratórias entre os dias 7 e 12 de janeiro.

Se essas negociações derem resultado, se abrirá uma nova fase de negociações formais nas quais se fixarão políticas comuns e se definirão os ministérios, um trabalho que poderá durar muito mais tempo.

Os maiores obstáculos estão no SPD, cujos delegados se reunirão em 21 de janeiro no congresso para votar sobre o início ou não de negociações formais com os conservadores.

bur-dac/ylf/glr/gm/mb/cc

Internacional