PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Primeiro vice-presidente do Peru assegura lealdade a Kuczynski

20/12/2017 17h53

Lima, 20 dez 2017 (AFP) - Martín Vizcarra, primeiro vice-presidente peruano e que assumiria o governo em caso de destituição do presidente Pedro Pablo Kuczynski, chegou nesta quarta-feira (20) a Lima e afirmou sua lealdade ao chefe de Estado.

"Manifesto toda a minha lealdade ao presidente da República e à chapa presidencial da qual faço parte", disse à imprensa Vizcarra, que ocupa o cargo de embaixador do Peru no Canadá.

Vizcarra chegou a Lima a pedido de Kuczynski pela possibilidade de vacância presidencial que será votada na quinta-feira pelo Congresso, e que provocou uma crise política no país.

"Tínhamos passagens para a próxima semana, mas o presidente me pediu para voltar hoje. E aqui estou, ao lado do presidente. Primeiro para ouvi-lo, e para que todas as dúvidas sejam esclarecidas", explicou o vice-presidente.

Kuczynski comparecerá na quinta-feira ante o Congresso para se defender das acusações de que mentiu sobre seus vínculos com a empreiteira Odebrecht. A oposição precisa de 87 votos dos 130 legisladores para destituí-lo.

"A partir do momento que sou parte deste governo tenho confiança", indicou o vice-presidente antes de se dirigir ao palácio de governo para se reunir com o presidente.

Ao ser questionado sobre sua disposição para assumir a Presidência no caso do cargo ficar vago, Vizcarra se limitou a dizer: "a única coisa que diria aos peruanos é para terem serenidade, porque as decisões mais importantes são tomadas estando serenos. Que prevaleça o raciocínio, serenidade e cordura".

Kuczynski corre o risco de ser destituído por "incapacidade moral" e se tornar o primeiro presidente a perder seu cargo pelo caso Odebrecht, que admitiu ter pago dezenas de milhões de dólares em propinas em vários países latino-americanos para conseguir importantes contratos de obras públicas.

No caso de aprovarem a destituição do presidente, o primeiro vice-presidente terá que assumir o posto de presidente do Peru até julho de 2021.

Internacional