Premiê israelense rejeita votação sobre Jerusalém na ONU

Jerusalém, 21 dez 2017 (AFP) - Israel rejeitou a votação sobre Jerusalém prevista para esta quinta-feira na Assembleia Geral das Nações Unidas, uma "casa das mentiras" nas palavras do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

"Jerusalém é a capital de Israel, reconheça ou não a ONU, e o Estado de Israel rejeita categoricamente a votação", disse Netanyahu antes da votação na Assembleia Geral sobre uma resolução que condena o reconhecimento de Jerusalém como capital pelo governo dos Estados Unidos.

"Foram necessários 70 anos para que os Estados Unidos reconhecessem reconheçam oficialmente e levará muitos anos até que a ONU também o reconheça", afirmou.

"Mas a atitude a respeito de Israel de muitos países está mudando fora dos muros da ONU e, eventualmente, também vai chegar à ONU, a casa das mentiras", disse.

"O Estado de Israel rejeita categoricamente esta votação, mesmo antes da aprovação", disse o primeiro-ministro israelense.

Ele afirmou que outros países devem transferir sua embaixada de Tel Aviv a Jerusalém, como o presidente Donald Trump prometeu fazer com a representação americana.

Netanyahu agradeceu Trump e a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley.

Israel considerou "histórico" o reconhecimento por Trump de Jerusalém como capital do país. A grande maioria da comunidade internacional condenou o anúncio.

jjm-lal/tp/sgf-erl/acc/fp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos