ONU pede respeito a direitos e lamenta mortes no Irã

Nações Unidas, Estados Unidos, 2 Jan 2018 (AFP) - O secretário-geral da ONU, António Guterres, expressou seu pesar pelo número de mortos nos protestos contra o governo no Irã, e pediu que a República Islâmica respeite os direitos dos manifestantes pacíficos.

Teerã assegurou que 21 pessoas morreram nos confrontos no país enquanto milhares de manifestantes tomavam as ruas. A Polícia prendeu centenas de cidadãos.

"Lamentamos a perda de vidas humanas e esperamos que não haja mais violência. Esperamos que os direitos de reunião pacífica e expressão do povo iraniano sejam respeitados", disse o porta-voz Farhan Aziz Haq, em nome do secretário-geral.

O líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, culpou nesta terça-feira de manhã os "inimigos" do país pelos quase seis dias de distúrbios violentos que sacudiram o país conservador.

"Os inimigos se uniram e estão usando todos os seus meios, dinheiro, armas, policias e serviços de segurança para criar problemas no regime islâmico", assegurou.

Na quinta noite de confrontos, na madrugada desta terça-feira, seis pessoas morreram em um ataque a uma delegacia na província de Isfahan, segundo a televisão estatal, o que aumenta a cifra para 21 mortos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos