Ex-presidente sul-coreana acusa de desviar fundos secretos

Seul, 4 Jan 2018 (AFP) - A destituída presidente sul-coreana Park Geun-Hye, que está sendo julgada por corrupção, foi também acusada nesta quinta-feira de desviar milhões de dólares de fundos secretos procedentes dos serviços de inteligência do país, informou a imprensa local.

Park teria recebido todos os meses, entre 2013 e meados de mediados de 2016, entre 47.000 e 188.000 dólares do serviço nacional de inteligência, o NIS.

Estas somas eram entregues, segundo a imprensa, pelos agentes da inteligência a conselheiros de Park e procediam dos fundos especiais que os serviços inteligência podem usar sem prestar contas a ninguém.

A ex-presidente teria usado esse dinheiro com gastos pessoais, como aplicação de Botox, roupas de grife e presentes para amigos.

Park, a primeira presidente da Coreia do Sul, foi destituída pelo parlamento em 9 de dezembro de 2016, uma decisão confirmada em março pelo Tribunal Constitucional, e acusada em abril por um escândalo de corrupção no qual estão envolvidas grandes companhias do país, como Samsung.

ckp/slb/jac-ev/mml/me/pc/cn

SAMSUNG ELECTRONICS

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos