Quase 30 civis mortos perto de Damasco

Beirute, 4 Jan 2018 (AFP) - Ao menos 28 civis morreram na quarta-feira (3) na Síria, em sua maioria atingidos por bombardeios aéreos russos no enclave rebelde de Guta Oriental, perto de Damasco, informou nesta quinta-feira (4) o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Sete crianças, onze mulheres e um voluntário da organização de resgate nas zonas rebeldes Capacetes Brancos estão entre as vítimas, segundo a organização que informou dezenas de feridos.

No total, "28 civis morreram nesta quarta-feira em Guta Oriental, incluindo 19 em ataques aéreos russos contra Misraba, e outros por disparos do regime contra outras duas cidades", declarou à AFP o diretor da OSDH, Rami Abdel Rahman.

Um primeiro balanço apontava 23 mortos civis.

Em um hospital de Duma, grande cidade de Guta Oriental, um correspondente da AFP viu socorristas trazendo feridos de Misraba, em sua maioria crianças e mulheres.

Segundo uma fonte médica, o hospital recorreu a membros da equipe que estavam de folga "devido ao grande número de vítimas".

Guta Oriental, último bastião rebelde na região de Damasco, é assediada por tropas do regime de Bashar al Assad desde 2013. Ao menos 400 mil habitantes estão presos nesta ampla região, onde faltam alimentos e medicamentos.

Tanto as evacuações médicas quanto a chegada de ajuda humanitária a Ghuta Oriental podem ser realizadas apenas com a autorização do regime sírio.

Abdel Rahman revelou que os "ataques aéreos russos foram dirigidos contra prédios de apartamentos em Misraba", cidade controlada pelo grupo rebelde Yaish al Islam.

"O quartel-general do Yaish al Islam está situado na periferia da cidade e não em seu interior", explicou o diretor do OSDH.

Com o apoio militar de Rússia e do Irã, Damasco conseguiu retomar o controle da maioria dos territórios conquistados pelos rebeldes.

"Há um ano e meio, o regime concentra suas tropas para atacar Guta", assegurou à AFP Mohamed Alluche, um dos líderes do Jaich al-Islam.

O jornal próximo ao regime de Assad Al-Watan confirmou nesta quinta-feira que o governo mobilizava suas tropas perto de Harasta, "para começar a afastar os terroristas" de uma de suas bases militares na região, alvo de uma ofensiva dos rebeldes.

Na semana passada, 29 civis gravemente feridos em Guta Oriental foram evacuados em troca da libertação pelos rebeldes de 29 detidos, em conformidade com um acordo concluído entre o regime e os insurgentes.

"É preciso fazer muito mais: as necessidades dos civis devem ser prioridade e o acesso à ajuda deve ser autorizado com mais frequência e sem pré-condições", exigiu a representante do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) na Síria, Marianne Gasser.

Ao mesmo tempo, após um acordo com o regime sírio, dezenas de extremistas islâmicos e combatentes rebeldes foram evacuados das últimas zonas que controlavam em Guta Ocidental, segundo a televisão estatal síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos