'Fogo e Fúria': confira trechos do comentado livro sobre Trump

Washington, 6 Jan 2018 (AFP) - Seguem alguns trechos de "Fire and Fury: Inside the Trump White House" (Fogo e Fúria: dentro da Casa Branca de Trump, em tradução livre), o livro incendiário de Michael Wolff, que chegou antecipadamente às livrarias nesta sexta-feira (5), depois que o presidente Donald Trump tentou, em vão, proibi-lo.

O volume esgotou rapidamente em Washington, a capital americana, e alguns leitores fizeram fila à meia-noite para tentar levar um exemplar do best-seller instantâneo, que Trump diz ser "falso" e "cheio de mentiras".

Sem ser específica, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse haver coisas no livro "completamente inverídicas", enquanto Trump criticou os comentários atribuídos a Steve Bannon, afirmando que seu ex-estrategista-chefe "perdeu o juízo".

- Campanha de Trump: concorrer para perder -"'Somos todos perdedores', teria dito Trump. 'Todo o nosso pessoal é terrível, ninguém sabe o que está fazendo'".

"'Esta coisa' - disse ele aos Mercers - 'está fodida'".

Trump supostamente se dirigia à família de Bob Mercer, o bilionário ultraconservador, doador da campanha de Trump.

- O choque da vitória -"Quando o inesperado parecia se confirmar - que Trump poderia realmente vencer -, Don [Donald Trump] Jr disse a um amigo que seu pai, ou DJT, como ele o chamava, parecia ter visto um fantasma. Melania estava em prantos, e não era de alegria".

"E então, no espaço de pouco mais de uma hora, um Trump confuso deu lugar a um Trump incrédulo e, em seguida a um Trump aterrorizado. Mas ainda ocorreria a transformação final: de repente, Donald Trump se tornou um homem que acreditava que merecia ser, e estava totalmente capacitado para ser, o presidente dos Estados Unidos".

- Bannon sobre reunião com os russos -"'Os três caras mais importantes da campanha' (Donald Trump Jr, o genro de Trump, Jared Kushner, e o chefe de campanha, Paul Manafort), relatou um Bannon incrédulo, 'pensaram que era uma boa ideia se reunirem com um governo estrangeiro na sala de conferências, no 25º andar da Trump Tower, e sem advogados.

'Eles não tinham advogados. Mesmo que você pensasse que isto não era traição, antipatriótico ou uma merda ruim - e eu cheguei a pensar em tudo isso -, você deveria chamar o FBI imediatamente'".

- Aprendendo a Constituição -"No começo da campanha, em uma cena digna de 'Os Produtores', (o assessor da campanha) Sam Nunberg foi enviado para explicar a Constituição para o candidato: 'Eu cheguei à Quarta Emenda antes de seu dedo pousar no lábio e seus olhos revirarem'".

- George W. Bush sobre o discurso de posse de Trump -"É uma merda esquisita".

- A obsessão de Trump por Putin -"'No que ele foi se meter com os russos?', questionou (o falecido presidente da Fox News, Roger) Ailes. 'Na maior parte das vezes', disse Bannon, 'ele foi à Rússia e pensou que fosse se encontrar com Putin. Mas Putin não dava a mínima para ele. Então, ele continuou tentando'".

- Muito o que pensar -"'Eu não daria a Donald muito no que pensar', disse Ailes, divertido. Bannon bufou. 'Muito ou pouco não muda as coisas necessariamente'".

- Trump teme ser envenenado -"Ele tem um medo antigo de ser envenenado, razão pela qual gostava de comer no McDonald's - ninguém sabia que ele estava chegando e a comida estava seguramente pré-preparada".

- Elogios e sapatos egípcios -"Abdel Fattah al-Sissi - o homem forte do Egito - habilmente enalteceu o presidente dizendo: 'você tem uma personalidade única e é capaz de fazer o impossível'. Trump devolveu o elogio a Al-Sissi afirmando: 'Amo seus sapatos. Cara, esses sapatos. Cara...')"

- As pretensões presidenciais de Ivanka -"Equilibrando riscos e resultados, tanto Jared quanto Ivanka decidiram aceitar cargos na Ala Oeste [parte administrativa da Casa Branca], contrariando os conselhos de quase todos que conheciam. Foi uma decisão conjunta do casal e, em algum sentido, um trabalho conjunto. Os dois fizeram um acordo entre si: se em algum momento no futuro surgir a oportunidade, ela vai se candidatar à Presidência. A primeira mulher presidente nos Estados Unidos, considerou Ivanka, não seria Hillary Clinton, seria Ivanka Trump."

- Uday e Qusay Trump -"Seus filhos, Don Jr. e Eric, são chamados pelas costas por pessoas próximas de Trump de Uday e Qusay, nomes dos filhos de Saddam Hussein".

- Rupert Murdoch sobre Trump -"'Que idiota da porra', exclamou (o magnata dos meios de comunicação Rupert) Murdoch ao sair do telefone", depois de conversar sobre imigração com Trump.

- Ivanka revela o segredo do topete -Ivanka "trata seu pai com certo distanciamento, inclusive com ironia, a ponto de fazer brincadeiras com os outros sobre seu penteado. Ela explicou tudo a seus amigos: ele tem uma parte totalmente calva no topo da cabeça - depois de uma cirurgia de redução da pele do crânio - rodeada por um círculo de cabelo dos lados e à frente; as extremidades são penteadas para se encontrarem no centro e, depois, jogadas para trás, e fixadas com spray. A cor, ela observa com tom cômico, é de um produto chamado 'Just for Men'. Quanto mais tempo fica aplicado, mais escuro o cabelo fica. A impaciência resultou no louro-alaranjado de Trump".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos