Congresso do Equador desiste de julgamento político contra Glas

Quito, 7 Jan 2018 (AFP) - A Comissão de Fiscalização do Congresso do Equador desistiu neste domingo de continuar com o julgamento político de censura contra o ex-vice-presidente Jorge Glas, um dia depois de ele ter sido substituído no cargo, após ser condenado à prisão por receber subornos da construtora brasileira Odebrecht.

"Vamos oficiar o presidente da Assembleia Nacional, José Serrano, notificando que esta comissão não é competente, porque a Constituição não faculta a realização de julgamento político de um ex-vice-presidente", declarou a presidente da Comissão, María José Carrión.

O Parlamento havia começado a tramitar um julgamento político contra Glas a pedido da oposição, apoiado por deputados partidários do presidente Lenín Moreno, em meio a uma disputa de poder no governismo entre Moreno e o ex-presidente Rafael Correa, que se tornou seu principal rival político.

Glas, grande aliado de Correa e eleito com Moreno nas presidenciais de abril, permanece preso desde 2 de outubro, acusado de receber subornos da Odebrecht, motivo pelo qual foi condenado a seis anos de prisão e perdeu o cargo na última semana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos