Impedir tráfico de armas dos EUA reduziria violência no México

Chilpancingo, México, 11 Jan 2018 (AFP) - Se os Estados Unidos impedissem o tráfico de armas de seu país para México, não haveria necessidade de enviar alertas para que seus cidadãos não viajem às cidades mais violentas do país, declarou o governo de uma região mexicana atingida pela criminalidade.

A declaração acontece um dia depois de o Departamento de Estado alertar seus cidadãos para que não visitem Colima, Guerrero, Michoacán, Sinaloa e Tamaulipas, este último fronteiriço com os Estados Unidos, pelos altos níveis de violência que sofrem.

Essa medida "seria desnecessária se o governo dos Estados Unidos impedissem o contrabando de armas para o México", respondeu Roberto Álvarez, porta-voz de Segurança de Guerrero, situado no sul do país.

"As armas provenientes dos Estados Unidos no México e os grupos criminosos que as usam são responsáveis pela violência do país, que incentiva a emissão do Alerta de Viagem", disse Álvarez em comunicado.

No entanto, o alerta do Departamento de Estado será tomado pelo governo de Guerrero como "um incentivo para melhorar a segurança e continuar com o combate aos grupos criminosos".

Os Estados Unidos situou as regiões mexicanas mencionadas no máximo nível de alerta, no qual também colocou a Síria, o Iraque e o Afeganistão, entre outros países.

Os alertas de viagem para cidadãos americanos são emitidos com certa regularidade pelo governo dos Estados Unidos em função dos índices de violência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos