Fotógrafo Mario Testino é acusado de assédio sexual

Nova York, 14 Jan 2018 (AFP) - O fotógrafo Mario Testino, referência no mundo da moda e apreciado por celebridades, foi acusado de assédio sexual por 13 pessoas citadas em um artigo do jornal "The New York Times" neste sábado.

De 63 anos e origem peruana, ao longo de quatro décadas de carreira Testino foi fotógrafo de dezenas de campanhas publicitárias para grandes marcas e publicou seu trabalho em revistas renomadas, entre elas a "Vogue".

Vários modelos e ex-assistentes o acusam de ter feito investidas, inclusive tentado iniciar uma relação sexual, mas nenhum disse ter cedido.

"Foi um depredador sexual", afirmou Ryan Locke, modelo de sucesso no fim da década de 1990. Segundo ele, durante uma sessão de fotos Testino pediu a toda a equipe que saísse da sala para ficar sozinho com ele e, em seguida, teria iniciado o assédio.

O ex-assistente do fotógrafo Hugo Tillman contou que teve uma experiência semelhante, enquanto outro, Roman Barrett, afirmou que Testino se masturbou na sua frente. "O assédio sexual era uma realidade constante", afirmou.

Consultado pela AFP, Mario Testino não respondeu sobre o assunto.

tu/elm/gv/yow/lb

THE NEW YORK TIMES COMPANY

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos