Base social-democrata alemã critica acordo com Merkel

Berlim, 14 Jan 2018 (AFP) - Vários membros do Partido Social-Democrata alemão (SPD) criticaram neste domingo o acordo de governo preliminar com os conservadores da chanceler Angela Merkel, uma semana antes de um congresso fundamental para o futuro dessa aliança.

O acordo de princípio, que permitirá à Alemanha sair de vários meses de estagnação política após as eleições legislativas, foi negociado e validado nesta sexta-feira pela direção do SPD e pelos democratas-cristãos do CDU (de Merkel) e do CSU, aliado da chanceler.

Contudo, ainda é preciso esperar o pronunciamento dos delegados social-democratas em um congresso do SPD no dia 21 de janeiro.

Na reunião, será decidido pelo início da aliança ou por sua invalidação - o que lançaria a maior economia europeia em uma incerteza.

Diante das recentes declarações de membros do partido social-democrata, não há nada certo.

O prefeito de Berlim, Michael Muller, do SPD, disse que continuava sendo "muito crítico" à ideia de uma nova coalizão entre seu movimento e o partido de centro-direita da chanceler, em uma entrevista ao jornal Tagesspiegel.

Nas legislativas de setembro, "houve uma votação muito clara dos eleitores contra os dois parceiros da coalizão, portanto refazê-la com a mesma política não é a resposta adequada", disse.

Embora os democratas-cristãos de Merkel tenham vencido em setembro, a grande coalizão dos social-democratas e conservadores sofreu um grave golpe nas eleições legislativas.

Alguns líderes do SPD querem melhorar os aspectos sociais - incluindo as condições dos contratos trabalhistas - no rascunho deste acordo.

mfp-ylf/ia/pb/age/ll

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos