Topo

Erdogan quer acabar com força síria apoiada pelos EUA

15/01/2018 11h59

Ancara, 15 Jan 2018 (AFP) - O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou nesta segunda-feira "cortar pela raiz" a força - chamada por ele de "exército terrorista" - que os Estados Unidos quer formar com combates curdos na Síria na fronteira com a Turquia.

"Os Estados Unidos confessaram que está criando um exército terrorista em nossa fronteira. Cabe a nós erradicar esse exército terrorista", disse Erdogan em um discurso em Ancara.

Neste sentido, a Turquia poderia lançar uma operação militar a qualquer momento contra posições das Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), milícia curdo-síria, a espinha dorsal das Forças Democráticas Sírias (FDS), em Afrin e Mambij, no norte da Síria, advertiu o presidente turco.

"Os preparativos acabaram, a operação pode começar a qualquer momento", disse Erdogan.

"As operações continuarão até que não haja uma esquerda terrorista", garantiu sobre os combatentes curdos.

A coalizão liderada pelos Estados Unidos para combater o grupo extremista Estado Islâmico (EI) anunciou no domingo a criação de uma "Força de Segurança das Fronteiras" em coordenação com os combatentes curdos e árabes das Forças Democráticas Sírias.

O objetivo é "impedir que o EI retorne", afirma a coalizão.

A força fronteiriça, que seria formada "no decorrer dos próximos anos", teria cerca de 30 mil homens, dos quais metade das FDS e o resto seriam novos recrutas.

O porta-voz do governo turco, Bekir Bozdag, acusou os Estados Unidos de "brincar com fogo".

bur-gkg/ezz/cr/es.