Sete manifestantes budistas mortos em distúrbios em Myanmar

Yangon, 17 Jan 2018 (AFP) - A polícia atirou na noite de terça-feira contra um multidão de budistas que pretendia invadir um prédio do governo no estado de Rakhine, matando sete manifestantes e ferindo outros treze, informaram nesta quarta-feira as autoridades birmanesas à AFP.

"Sete pessoas morreram e treze estão feridas em Mrauk U", no oeste do país, na zona de conflito com a minoria muçulmana rohingya, disse à AFP Myo Soe, porta-voz da polícia birmanesa.

"As forças de segurança pediram à multidão para dispersar e deram tiros de advertência para o alto com balas de borracha, mas foi em vão", revelou o oficial.

Diante do avanço da multidão, "a polícia teve que atirar com munição real para advertir e dispersar as pessoas", justificou Myo Soe.

Na manhã desta quarta-feira, a calma havia retornado à Mrauk U, em Rakhine, epicentro da crise envolvendo a maioria budista e os rohingyas desde agosto passado.

A repressão do Exército birmanês já provocou a fuga de 650.000 rohingyas para a vizinha Bangladesh, no que as Nações Unidas denunciam como uma "limpeza étnica".

Os distúrbios de terça-feira começaram após a proibição de uma manifestação de nacionalistas que queriam comemorar o antigo reino budista de Rekhine.

hla-tib/lr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos