Protestos proibidos pelo governo deixam cinco mortos na RDC

Kinshasa, 21 Jan 2018 (AFP) - Pelo menos cinco pessoas morreram, e 33 ficaram feridas neste domingo (21), na República Democrática do Congo, em confrontos entre manifestantes e policiais - relataram diferentes fontes.

Além disso, 69 pessoas foram detidas, de acordo com a porta-voz da Missão das Nações Unidas no Congo (Monusco).

A polícia atirou contra multidão para dispersar as passeatas proibidas pelo governo e que foram convocadas por um coletivo católico oposto ao presidente Joseph Kabila.

Enquanto todos os óbitos aconteceram em Kinshasa, feridos e detidos foram registrados em diferentes cidades, acrescentou a fonte da Monusco.

Uma das vítimas fatais foi uma mulher, alvo de rajadas de metralhadora na entrada da igreja de de São Francisco de Sales, no município de Kitambo, disse à AFP o opositor Jean-Baptise Sondji. A ONU também fala de um morto nessa igreja.

Em seu último dia de visita ao Peru, neste domingo (21), o papa Francisco pediu às autoridades congolesas que "evitem qualquer forma de violência".

Diante das "notícias preocupantes" procedentes da RD Congo, o papa fez um chamado durante a oração do Angelus em Lima às autoridades do país africano para "que coloquem seu máximo empenho e esforço para evitar toda forma de violência".

mbb-bmb-st/me/pc/tt/cb

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos