Maré negra no mar da China triplicou de tamanho em quatro dias

Pequim, 22 Jan 2018 (AFP) - A maré negra provocada pelo naufrágio de um petroleiro no mar da China oriental triplicou seu tamanho em apenas quatro dias e cobre agora mais de 300 quilômetros quadrados - informa Pequim.

Imagens feitas por satélite permitiram detectar três camadas de hidrocarbonetos que medem 332 quilômetros quadrados no total, indicou no domingo à noite a agência chinesa responsável pelos oceanos, em um comunicado.

Na quarta-feira, essa agência havia informado que a maré negra se espalhava por 101 quilômetros quadrados.

O "Sanchi", que transportava 136.000 toneladas de condensado - hidrocarbonetos leves -, afundou em 14 de janeiro após arder por uma semana. O incêndio na embarcação decorreu da colisão com um cargueiro chinês a 300 quilômetros ao leste de Xangai.

No acidente, 32 marinheiros - 30 iranianos e dois bengalis - morreram na catástrofe.

O barco está agora a 115 metros de profundidade no mar. Ainda não se sabe a quantidade de agentes poluentes em seu interior.

Além de sua carga, o "Sanchi", de bandeira panamenha, pode levar a bordo até 1.000 toneladas de diesel pesado para o funcionamento de suas máquinas.

A maré negra se desloca para o norte, devido aos ventos e às correntes marinhas e pode ameaçar o litoral de Coreia do Sul e Japão, anunciou a Administração de Oceanos na semana passada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos