Corte sul-coreana condena ex-ministra da Cultura

Seul, 23 Jan 2018 (AFP) - Um tribunal de apelação da Coreia do Sul condenou nesta terça-feira a ex-ministra da Cultura Cho Yoon-Sun a dois anos de prisão por seu papel na elaboração de uma lista negra de 10 mil artistas vistos como críticos do governo do distrito de Park Geun-Hye.

Cho havia inicialmente sido absolvida em julho, levando os promotores a recorrer.

Antes de se tornar ministra da cultura em 2016, Cho era assessor de políticas para a Park. Para o tribunal, é "razoável" acreditar que ela havia colaborado em "tentativas de conter o apoio estatal para certos artistas".

Cho, que estava em liberdade sob fiança, foi imediatamente presa no tribunal.

A lista negra, que surgiu em 2016, tinha como alvo artistas que demandavam subsídios estatais e financiamento privado, colocando-os sob vigilância estatal.

Muitos desses artistas haviam manifestado apoio para os partidos de oposição, ou criticaram Park e suas políticas.

A lista inclui artistas de cinema, teatro, dança, música e literatura, como o vencedor de 2016 do prêmio Man Booker International Prize, Han Kang.

Park foi destituída no ano passado após um grande escâncalo de corrupção que chocou o país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos