PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Dia de intenso tiroteio na comunidade da Rocinha

25/01/2018 20h36

Rio de Janeiro, 25 Jan 2018 (AFP) - A comunidade da Rocinha, a maior do Rio de Janeiro, foi cenário nesta quinta-feira (25) de longos tiroteios que deixaram ao menos quatro feridos, incluindo um policial, durante uma operação contra o tráfico de drogas, informaram fontes oficiais e um repórter da AFP.

Participaram da operação forças da unidade de elite (COE), detalhou a Polícia Militar em seu Twitter.

Em outra postagem, a Polícia pediu doações de sangue para um agente ferido.

A incursão foi realizada com blindados e o tiroteio, que começou pela manhã, durou até o final da tarde.

"Durante toda a tarde foram ouvidas rajadas de armas automáticas e disparos intermitentes", assinalou o repórter da AFP.

"Os moradores não conseguiam entrar nem sair", acrescentou.

Cerca de 100 mil pessoas, a maioria em condições insalubres, vivem na Rocinha, localizada na Zona Sul da cidade.

Na comunidade são registrados frequentes confrontos desde setembro devido a uma guerra de facções que disputam o controle do tráfico.

As hostilidades foram declaradas depois que um dos chefes do tráfico de drogas, Rogério Avelino da Silva, o "Rogério 157" - detido no início de dezembro - rompeu com a sua facção.

No ano passado o governo mobilizou os militares para tentar conter o contínuo aumento da violência no Rio.

Nesta quinta-feira, os militares participaram de uma operação contra o roubo de caminhões de carga nas rotas de acesso à cidade.

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro, em 2017 houve 10.599 roubos de carga no estado, diante dos 9.874 no ano anterior.

Internacional