Atrizes acusam cineasta alemão de assédio e estupro

Berlim, 26 Jan 2018 (AFP) - O escândalo crescia na Alemanha nesta sexta-feira (26) envolvendo o roteirista e diretor de cinema e televisão Dieter Wedel, suspeito de assediar e violentar várias atrizes, depois que mais um depoimento veio à tona ontem.

Em um dossiê publicado em duas etapas pela revista "Die Zeit", várias mulheres fizeram acusações que vão do assédio sexual ao estupro contra Wedel, mais conhecido no país por suas produções para a televisão.

"Se as acusações contra Wedel forem exatas - e podemos supor que são, devido à sua clareza, número e densidade dos testemunhos contra ele -, Wedel é a personificação de tudo o que denuncia o movimento #Metoo ['Eutambém', em português]" contra abusos sexuais, afirma o jornal "Süddeutsche Zeitung" em um editorial publicado nesta sexta.

"Wedel seria então o Harvey Weinstein alemão", acrescentou o jornal, referindo-se ao produtor de cinema americano acusado por mais de 100 mulheres de assédio, agressão sexual, ou estupro em um período de mais de 20 anos.

Dieter Wedel, de 75, negou firmemente as primeiras acusações publicadas pelo jornal "Die Zeit" no início de janeiro, afirmando ser vítima de uma "caça às bruxas".

Ele não reagiu ao depoimento de quinta-feira, no qual uma atriz descreve uma tentativa de estupro que teria ocorrido em 1980.

Na segunda-feira, seu porta-voz disse que o diretor estava internado por problemas cardíacos.

Se for confirmada, a maioria dos casos já vai ter prescrito. Ainda assim, o tribunal de Munique abriu uma investigação sobre uma acusação de estupro que teria acontecido em um hotel dessa cidade em 1996.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos