EUA afetado pela temporada de gripe mais ativa desde 2009

Miami, 26 Jan 2018 (AFP) - A epidemia de gripe que afeta os Estados Unidos, que causou a morte de pelo menos 37 crianças, é a maior pandemia que sacode o país desde a "gripe suína" (H1N1) de 2009, disseram autoridades de saúde pública esta sexta-feira.

Este ano, a cepa mais comum é o H3N2 e praticamente todos os estados foram afetados, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

"Durante as últimas três semanas o país experimentou um grande número de casos de gripe, todos ao mesmo tempo", disse Dan Jernigan, diretor da divisão de Influenza no Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias, parte dos CDC.

É a maior "atividade de gripe desde 2009", disse a repórteres em uma conferência telefônica.

Um total de 6,6% dos atendimentos em clínicas e serviços de emergências nesta temporada foram devido à gripe, afirmou. Durante a pandemia de H1N1 em 2009, essa taxa foi de 7,7%.

A pandemia de 2009, conhecida como "gripe suína", afetou 206 países e territórios e causou a morte de mais de 6.770 personas, segundo a Organização Mundial da Saúde, mas não foi levada em conta nas estatísticas comparativas por ser considerada atípica.

A maior epidemia de gripe recente nos Estados Unidos remonta a 2003-2004, quando representou 7,6% do total dos atendimentos, acrescentou Jernigan.

O que realmente distingue esta temporada é que "a atividade da gripe se generalizou em quase todos os estados e jurisdições ao mesmo tempo", afirmou. "Permaneceu no mesmo nível ao longo de três semanas em 49 estados".

A maior parte dos casos de gripe foi em pessoas maiores de 65 anos e de entre 50 e 64 anos.

"Prevemos que haverá mais mortes pediátricas este ano", alertou Jernigan, acrescentando que o número real de crianças mortas por gripe nesta temporada pode ser o dobro das estimativas atuais.

Uma grande preocupação é o alto número de casos de H3N2, a cepa mais comum nesta temporada, que tende a ser mais letal que outros tipos de gripe.

Funcionários de saúde pública continuam incitando a população a se vacinar, apesar de questionamentos sobre a eficácia da medida contra o H3N2.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos