Justiça da Venezuela exclui aliança opositora de eleições presidenciais

Caracas, 26 Jan 2018 (AFP) - A suprema corte da Venezuela excluiu nesta quinta-feira a aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) das próximas eleições presidenciais, nas quais o presidente Nicolás Maduro pretende se reeleger, ao reprogramar um processo de reinscrição de partidos políticos.

"SE ORDENA ao Conselho Nacional Eleitoral a exclusão 'MESA DA UNIDADE DEMOCRÁTICA' (MUD) no processo de renovação convocado", afirma a sentença do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), que autoriza o Poder Eleitoral a reprogramar por seis meses a reinscrição de partidos, incluindo a coalizão. A Assembleia Constituinte que rege no país, adiantou as eleições presidenciais, habitualmente realizadas em dezembro, para, no mais tardar, 30 de abril.

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) -acusado pela oposição de estar a serviço de Maduro- havia fixado para sábado e domingo a renovação da MUD e dos principais partidos que a integram.

Para reinscrever-se, os partidos deveriam levar ao CNE as assinaturas de pessoas que representem 0,5% dos inscritos no Registro Eleitoral em pelo menos 12 estados, de acordo com a lei. Cerca de 19 milhões de pessoas estão registradas para votar em todo o país.

Mas o TSJ atrasou por seis meses o processo de renovação.

A sigla da MUD é a mais votada na história eleitoral venezuelana, após a vitória opositora nas eleições parlamentares de 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos