EUA reconhece que negociação do Nafta avança, mas lentamente

Montreal, 29 Jan 2018 (AFP) - Após as ameaças do presidente Donald Trump de abandonar o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta), os Estados Unidos parecem, nesta segunda-feira (29), ter feito algumas concessões para encontrar um ponto de acordo com México e Canadá.

O representante comercial americano, Robert Lighthizer, admitiu que os três sócios conseguiram avançar durante a sexta rodada de negociações, concluída nesta sexta-feira, mas o progresso é muito lento.

"Finalmente começamos a discutir assuntos centrais. Assim, esta rodada foi um passo à frente. Mas estamos avançando muito lentamente", expressou Lighthizier em coletiva de imprensa em Montreal, ao lado do ministro mexicano de Economia, Ildefonso Guajardo, e da ministra canadense de Relações Exteriores, Chrystia Freeland.

Este tom quebra o discurso pessimista que vigorava em torno do Nafta, quando os três sócios voltaram a se sentar na mesa de negociações e o Canadá disse que estava se preparando para a eventual saída dos Estados Unidos do acordo.

Ottawa anunciou na terça-feira que irá aderir ao novo tratado de livre-comércio da Ásia-Pacífico (TPP), como medida de proteção contra uma eventual decisão radical.

O ministro mexicano da Economia disse que "foi feito progresso em várias áreas, especialmente nos capítulos que têm como objetivo modernizar o Nafta".

Segundo Guajardo, eles alcançaram consensos sobre corrupção, alfândega, facilitação do comércio e tecnologias de informação e comunicação.

Os três sócios também estão perto de chegar a um acordo sobre produtos farmacêuticos e químicos.

O ministro mexicano também destacou que as negociações permitiram atualizar o método e o controle de movimentos de mercadorias nas fronteiras, agora "muito mais avançados do que os da OMC (Organização Mundial do Comércio) e definitivamente mais fortes do que os do TPP".

"Mas continuamos tendo importantes desafios a superar", afirmou Guajardo.

Os três sócios do Nafta mantiveram, em Montreal, sua sexta rodada de negociações para tentar superar suas diferenças, depois de Trump ameaçar abandonar o acordo, adotado há 24 anos.

As próximas negociações acontecem no México em fevereiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos