Três conhecidos jornalistas condenados à prisão perpétua na Turquia

Istambul, 16 Fev 2018 (AFP) - Um tribunal turco sentenciou nesta sexta-feira (16) à prisão perpétua três reconhecidos jornalistas acusados de terem vínculos com a tentativa de golpe de Estado em 2016, após um julgamento criticado pelos defensores da liberdade de imprensa.

Os irmãos Ahmet e Mehmet Altan, assim como a jornalista Nazli Ilicak, que negaram durante todo o processo qualquer envolvimento com esse episódio, foram condenados junto a outras três pessoas por "tentativa de subverter a ordem constitucional", indicou a agência de notícias estatal Anadolu.

Os seis acusados foram declarados culpados de estarem vinculados com a tentativa golpista que sacudiu a Turquia na noite de 15 para 16 de julho de 2016, detalhou a mesma agência.

Os Altan e Ilicak foram acusados de enviar "mensagens subliminares" na véspera do golpe fracassado, acusação que rejeitaram e qualificaram de "absurda".

Desde o frustrado golpe de Estado, as autoridades turcas perseguem os que suspeitam ser partidários do clérigo Fethullah Gülen, a quem o governo de Ancara acusa de ter promovido a tentativa.

Este julgamento reavivou as preocupações sobre a liberdade de imprensa no país, mas também sobre a independência do poder judicial.

No mês passado, um tribunal turco rejeitou a libertação de Mehmet Altan apesar de uma sentença da Corte Constitucional que considerou sua prisão uma "violação" de seus direitos.

Durante uma viagem nesta sexta a Ancara, Thorbjorn Jagland, secretário-geral do Conselho da Europa, do que a Turquia faz parte, insistiu no caráter "obrigatório" das decisões da Corte Constitucional.

A ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF), por sua vez, criticou "um dia obscuro" para a liberdade de imprensa na Turquia após a decisão do tribunal nesta sexta-feira.

Com esta condenação, "a Justiça turca e o poder que a controla se ridicularizam aos olhos de todo o mundo", afirmou no Twitter Christophe Deloire, secretário-geral da RSF.

Mehmet Altan, de 65 anos, é autor de várias obras políticas, e seu irmão Ahmet, jornalista e romancista de 67 anos, fundou o jornal opositor Taraf.

Ilicak, jornalista e escritora de 73 anos, trabalhou até 2013 para o jornal governista Sabah.

As autoridades turcas acusam os irmãos Altan e Ilicak de integrarem o "braço midiático" do movimento do clérigo Gülen, o qual Ancara qualifica de "organização terrorista".

A Turquia ocupa a 155ª posição de um total de 180 países na classificação sobre a situação da liberdade de imprensa elaborada pela RSF.

gkg/lsb/pb/eg-me/eg/cb

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos