Justiça alemã pode punir cientistas por crueldade contra macacos

Berlim, 20 Fev 2018 (AFP) - A justiça alemã anunciou nesta terça-feira uma ação contra três pesquisadores do famoso Instituto Max Planck por práticas cruéis contra símios em experiências com seu cérebro.

Os três especialistas em cibernética biológica de um laboratório de Tubinga são acusados de ter alongado demais suas experiências e infligido aos animais sofrimentos prolongados durante um longo período, segundo um comunicado.

Os pesquisadores poderão ser multados e, segundo o código penal alemão, a crueldade em relação a animais pode ser punida com até anos de prisão em função da gravidade dos fatos.

Neste caso, os experimentos com os símios foram aprovados pelas autoridades, mas na condição que fossem cessados se o sofrimento dos animais se tornasse evidente.

"Ao contrário das regras que foram estabelecidas, os pesquisadores atrasaram a eutanásia dos animais, causando a eles portanto um sofrimento significativo e prolongado", assinalou a justiça.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos