Operação Lava Jato

Senador colombiano é condenado a seis anos de prisão por caso Odebrecht

Bogotá

  • Fernando Llano/AP

    O senado colombiano

    O senado colombiano

Um influente senador governista colombiano foi condenado nesta quarta-feira (28) a seis anos e oito meses de prisão por sua participação no escândalo de corrupção da empreiteira Odebrecht na Colômbia, informou a Corte Suprema de Justiça.

Bernardo Miguel Elías foi condenado por crimes de suborno e tráfico de influência, que aceitou, indicou a Corte Suprema, encarregada de investigar e julgar os congressistas.

Conhecido como "Ñoño" Elías, o congressista do governista Partido Social de Unidade Nacional, do qual o presidente Juan Manuel Santos faz parte, é considerado um dos barões eleitorais da Colômbia.

O congressista foi considerado culpado de ter sido beneficiário do pagamento de propinas da empreiteira para conceder obras públicas no país.

Elías segue vinculado a outros processos por lavagem de dinheiro e acordo para cometer crimes relacionados ao mesmo caso.

A empreiteira Odebrecht, afundada em um escândalo global de corrupção, reconheceu ante o governo dos Estados Unidos ter outorgado 11,1 milhões de dólares em propinas na Colômbia.

Segundo a Procuradoria colombiana, os subornos superariam os 27,7 milhões de dólares.

O ente investigador pediu em novembro à Corte Suprema para averiguar oito congressistas governistas, entre eles Elías, e um ex-ministro de Santos, por sua suposta participação na trama de propinas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos