Suposto talibã de nacionalidade alemã é preso no Afeganistão

Kandahar, Afeganistão, 1 Mar 2018 (AFP) - Um misterioso alemão oriundo de Frankfurt, usando trajes de talibã e barba longa, foi detido na companhia de insurgentes no sul do Afeganistão e foi acusado de ter combatido junto a eles.

Se for provado que o alemão se afiliou para combater junto aos talibãs, será o primeiro europeu acusado por isso preso no Afeganistão.

O homem, conhecido por seu apelido Abdul Wadood, foi detido durante uma operação das forças especiais afegãs na província de Helmand, reduto dos talibãs que controlam a maioria do território.

Para Abdul Qadeer Bahadurzai, porta-voz do 215º Corpo do Exército, que atua no sul do país, não há dúvidas de que se trata de um fervoroso combatente que conhece bem a região.

Segundo o porta-voz, o suspeito passou sete anos em Quetta, Paquistão, e um ano na província de Paktia (leste) e, desde então, servia de assessor militar para o Mulá Nassir, comandante das 'Unidades Vermelhas'", os corpos de elite dos talibãs.

Bahadurzai disse ainda que o cidadão alemão está nas mãos das forças americanas em Kandahar, e que outros três suspeitos foram detidos com ele.

Segundo Said Omar Zwak, porta-voz do governo provincial, o suspeito, de cerca de 40 anos, foi capturado dentro de uma fábrica de minas terrestre.

Até a presente data, o único ocidental conhecido por se unir aos talibãs é Walker Lindh, o "talibã americano", condenado a 20 anos de prisão em 2002.

mmd-ach/jf/lch/jvb/pb/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos