Topo

Presidente do Congresso equatoriano é destituído por suposta conspiração

Serrano, em discurso no plenário da Assembleia Nacional, que aprovou sua destituição - Xinhua
Serrano, em discurso no plenário da Assembleia Nacional, que aprovou sua destituição Imagem: Xinhua

Em Quito

09/03/2018 23h31

O presidente do Congresso do Equador, o governista José Serrano, foi destituído do cargo nesta sexta-feira (9) pelo próprio Legislativo, por sua suposta participação em uma conspiração contra o procurador-geral, Carlos Baca.

O Parlamento também decidiu submeter Baca a um julgamento político, por um caso envolvendo "espionagem política" e "corrupção" ligado ao escândalo Odebrecht.

Serrano e Baca depuseram sobre um áudio no qual o político fala sobre como remover o procurador-geral, em meio às investigações sobre subornos pagos pela Odebrecht no Equador.

Serrano, que assumiu a presidência do Parlamento como deputado mais votado nas eleições do ano passado, manterá seu mandato, enquanto Baca poderá ser destituído ao final do julgamento político.

Baca divulgou em fevereiro passado, em entrevista coletiva, uma gravação de conversa telefônica entre Serrano e o ex-controlador-geral do Estado e hoje foragido da Justiça Carlos Pólit, na qual o deputado afirma que é preciso "baixar" (remover do cargo) o procurador-geral por ele não ter respeitado os acordos (não citados).

A conversa telefônica, admitida por Serrano, teria acontecido em novembro passado e visava a remoção de Baca antes do final de 2017, quando a procuradoria realizava denúncias ligadas ao caso Odebrecht.

Mais Internacional