Ex-presidente sul-coreano comparece à Procuradoria por caso de corrupção

Seul, 14 Mar 2018 (AFP) - O ex-presidente sul-coreano Lee Myung-bak (conservador) se desculpou nesta terça-feira "por ter gerado preocupações" antes de comparecer à Procuradoria no contexto de uma investigação por corrupção que o ex-chefe de Estado chamou de "política".

O ex-presidente é suspeito de ter aceitado múltiplos subornos.

"Sinto muito ter gerado preocupações", declarou Lee ao chegar à Procuradoria.

O caso pelo qual é investigado inclui pagamentos de subornos por um total de vários milhões de euros durante o mandato de Lee (2008-2013), de 76 anos na atualidade.

Dois ex-conselheiros do presidente foram detidos e a moradia e o escritório de seu irmão Lee Sang-Deuk, de 82 anos, foram registrados.

Ex-advogado, Lee Sang-Deuk, que exerceu grande influência durante o mandato de seu irmão, foi condenado em 2013 por corrupção em outro caso e passou 14 meses na prisão.

Quase de forma sistemática, a alternância no poder na Coreia do Sul é acompanhada pela abertura de diligências contra o ex-presidente. Todos os ex-presidentes sul-coreanos foram investigados em vida pela justiça.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos