PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Bombardeios russos matam 37 civis na Síria, denuncia ONG

23/03/2018 10h47

Beirute, 23 Mar 2018 (AFP) - Trinta e sete civis morreram na quinta-feira à noite em ataques aéreos russos na região de Arbin, um dos últimos redutos rebeldes de Ghuta Oriental, perto de Damasco - afirmou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) nesta sexta-feira (23).

"Ataques aéreos russos e bombas incendiárias mataram civis refugiados em um porão, vítimas de queimaduras, ou asfixia", afirmou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

Os bombardeios aconteceram antes da entrada em vigor, à meia-noite local, de uma trégua com o grupo islamita que domina o bastião sul de Ghuta, cenário do ataque.

A informação foi confirmada no Twitter pelos Capacetes Brancos, os socorristas da Defesa Civil nas zonas rebeldes da Síria, que denunciaram um "massacre horrível".

"Trinta e sete civis foram mortalmente queimados por bombas que alcançaram um abrigo em Arbin. A maioria das vítimas são mulheres e crianças", tuitaram os Capacetes Brancos.

Aliada do governo sírio, a Rússia garante que sua Força Aérea não participa dos bombardeios de Ghuta Oriental.

Os bombardeios aconteceram antes da entrada em vigor, à meia-noite, de uma trégua com o grupo islamista que domina o bastião sul de Ghuta, local do ataque, acrescentou o diretor do OSDH.

Na quinta-feira, pelo menos 38 civis morreram por bombardeios contra várias localidades de Ghuta, sem contar as vítimas de Arbin.

Internacional