PUBLICIDADE
Topo

Internacional

EUA acusam mexicano de traficar fentanil suficiente para matar milhões

27/03/2018 16h00

Nova York, 27 Mar 2018 (AFP) - Um suposto narcotraficante mexicano apelidado de "El Gordo" foi apresentado nesta terça-feira (27) em um tribunal de Nova York acusado de traficar um volume capaz de matar 10 milhões de pessoas, disseram promotores.

Francisco Quiroz Zamora, de 41 anos, é um suposto membro do cartel de Sinaloa, que era liderado por "El Chapo" Guzmán, preso em Nova York, e as acusações mostraram como os grupos de traficantes de drogas agora apostam nesse opioide sintético conhecido como fentanil.

Quiroz é acusado de ser a conexão mexicana a cargo dos envios de fentanil a Nova York e de organizar o sistema de contrabando no Arizona e na Califórnia usando caminhões, carros e pessoas.

O fentanil, 50 vezes mais potente que a heroína, está provocando um alarmante aumento de mortes por overdose, que chegaram a 1.400 em Nova York no ano passado. Dois ou três miligramas são suficientes para matar quem o consome, segundo funcionários americanos.

A apreensão dessa droga está crescendo e a agência antidrogas dos Estados Unidos (DEA) confiscou 304 quilos em 2017, o que significou o considerável aumento de 1.030% em relação ao ano anterior, disseram os funcionários.

Quiroz Zamora foi preso no ano passado quando viajou a Nova York para receber dinheiro de um agente encoberto que se fez passar por narcotraficante.

Em novembro foi apresentado ante uma corte penal de Manhattan que ordenou mantê-lo preso e a acusação foi formalizada nesta terça-feira.

Promotores americanos disseram que "El Gordo" se comunicava diretamente com seus clientes de Nova York e organizava as transações. Agora comparecerá a um tribunal de Manhattan junto com outros cinco acusados.

O mexicano enfrenta acusações por crimes de tráfico de drogas mais graves do estado de Nova York.

Internacional