Trump volta a criticar o México e a 'Via-crúcis Migratória'

Washington, 3 Abr 2018 (AFP) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou nesta segunda-feira (2) a criticar o México, ao afirmar que o governo deste país deve deter a enorme caravana de imigrantes que se aproxima da fronteira entre os dois países.

Pelo segundo dia consecutivo, o chefe de Estado americano foi ao Twitter criticar o México e a caravana denominada "Via-crúcis Migratória 2018", bem como o próprio Congresso americano.

Ainda que pareça ridículo, as leis do nosso país não nos permitem mandar facilmente os que cruzam nossa fronteira sul de volta para onde vieram. Há falta de um procedimento enorme. México e Canadá têm duras leis migratórias, mas as nossas são uma piada de (Barack) Obama. AJA, CONGRESSO", tuitou Trump na noite desta segunda-feira.

"O México tem o poder absoluto para não deixar que esta enorme 'caravana' de pessoas entre em nosso país. Devem interrompê-la em sua fronteira norte", escreveu Trump em outro Twitter, um dia depois de ter acusado o México de fazer "muito pouco" a respeito.

A irritação do presidente é focada na caravana, integrada por 1.500 migrantes centro-americanos e que partiu no dia 26 de março da cidade mexicana de Tapachula, na fronteira com a Guatemala, e pretende chegar à fronteira com os Estados Unidos.

A marcha tem como lema "Todos Somos Americanos de Nascimento". Com a caravana, mulheres, homens e crianças de Guatemala, El Salvador e Honduras querem demonstrar o que sofrem na viagem do México para os Estados Unidos.

Nesta segunda-feira, Trump escreveu que no México "as leis de fronteira funcionam" e, por isto, as autoridades do país "não devem permitir que estas pessoas entrem em nosso país, que não tem leis de fronteira efetivas".

- Daca na linha de fogo -Em outra mensagem, Trump afirma que o México "está fazendo uma fortuna" com o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta).

"Com todo o dinheiro que eles fazem às custas dos Estados Unidos, espero que eles impeçam as pessoas de atravessar seu país e entrar no nosso, pelo menos até que o Congresso mude nossas leis de imigração!", completou.

Trump afirma que o Partido Democrata é o responsável direto por esta situação, pois resiste a apoiar no Congresso uma lei migratória que inclua recursos para construir um muro na fronteira com o México.

Durante meses, os legisladores democratas exigiram que, em troca desse voto, os republicanos adotassem alguma medida para resolver a situação dos quase 700 mil migrantes que chegaram ao país na infância e normalizaram sua situação de forma temporária mediante o programa Daca.

Trump anunciou no fim do ano passado a suspensão desse programa, deixando essas centenas de imigrantes em um limbo legal. No entanto, dois juízes federais obrigaram o governo a continuar autorizando a renovação dessas permissões de residência.

Assim, as negociações para o futuro do programa Daca ficaram em segundo plano e isso acabou afundando as conversas para financiar a construção do muro na fronteira.

A irritação de Trump foi de tal magnitude que, nesta segunda-feira, o presidente se referiu ao assunto nos jardins da Casa Branca, onde estava cercado de crianças para uma festa de Páscoa.

"Os democratas abandonaram completamente" os imigrantes que lutam para manter o plano Daca ativo. "É uma vergonha", disse o presidente, enquanto as crianças corriam em busca de ovos de chocolate entre os arbustos da Casa Branca.

No México, Rodrigo Abeja, um dos organizadores da caravana, declarou à AFP que Trump estava usando a marcha "como pretexto" para justificar o fim do Daca.

Abeja assinalou que a caravana está no estado de Oaxaca, no sul do México, e busca chegar ao estado de Puebla (centro).

O presidente mexicano Enrique Peña Nieto exigiu dos Estados Unidos, nesta segunda-feira, respeito e seriedade na renegociação do Nafta e na relação bilateral.

"Nós, temos conduzido as negociações do acordo com toda seriedade, e espero que continue assim, que se mantenha esse espírito propositivo, de respeito mútuo, de cordialidade", disse Peña Nieto em uma breve declaração a jornalistas.

- Ausência do muro -"Devemos construir o muro e proteger nossas fronteiras com uma legislação adequada. Os democratas não querem fronteiras, por isso (temos) drogas e crime", escreveu o presidente americano.

Para ele, o "Daca está morto porque os democratas não se importaram ou atuaram".

Um acordo alcançado em 23 de março sobre o orçamento federal destinou 1,6 bilhão de dólares a projetos relacionados à construção do muro. A Casa Branca havia orçado o projeto em 25 bilhões.

Neste contexto, a notícia sobre a aproximação da caravana da fronteira americana caiu como um bomba sobre o humor de Trump.

Como de costume, Trump reage a assuntos apresentados em sua emissora preferida, a ultra conservadora FoxNews, que tem coberto intensamente a aproximação da caravana da fronteira com os Estados Unidos.

Estima-se que mais de 500 mil pessoas cruzem irregularmente o território mexicano a cada ano com intenção de chegar aos Estados Unidos, segundo dados das Nações Unidas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos