Alunos homenageiam mortos que doaram seu corpo para ciência na China

Pequim, 4 Abr 2018 (AFP) - Usando jalecos brancos, estudantes de medicina da China depositam crisântemos diante de um monumento aos mortos que doaram seu corpo para a ciência, uma homenagem ritual realizada por ocasião do Dia de Todos os Santos chinês.

Durante a tradicional festa de Qingming, os chineses cuidam dos túmulos de seus antepassados e queimam papel ou cédulas de dinheiro falsas com o objetivo de consolá-los no além-túmulo.

As lápides são enfeitadas com lírios ou crisântemos brancos, flores associadas aos falecidos neste dia festivo de "limpeza de túmulos" e que será celebrado na quinta-feira.

Já na segunda, os estudantes de medicina da Universidade de Zhejiang, na cidade de Hangzhou (leste), fizeram uma oferenda floral diante das lápides colocadas em memória dos doadores.

As faculdades de medicina da China têm muitas dificuldades para conseguir cadáveres destinados às aulas de anatomia.

As normas culturais tradicionais determinam que o corpo do falecido permaneça intacto. E as campanhas de sensibilização para a doação de órgãos são poucas no país.

Várias faculdades de medicina organizaram cerimônias comemorativas à margem da festa de Qingming, na esperança de atrair a atenção da opinião pública sobre a necessidade de doação de corpos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos