Topo

Cirurgião geral dos EUA pede para americanos carregarem antídoto de opióides

05/04/2018 18h27

Washington, 5 Abr 2018 (AFP) - O cirurgião geral americano pediu nesta quinta-feira (5) para mais americanos carregarem naloxona, um antídoto para a overdose de opióide, num momento em que a nação enfrenta um aumento nas mortes causadas por analgésicos potentes e pela heroína.

O cirurgião geral dos EUA, Jerome Adams, maior autoridade da saúde pública do país, pediu às pessoas para combaterem o abuso de opióide e aos seus familiares e amigos que obtenham a naloxona de uma farmácia e aprendam a usá-la em caso de emergência.

"Aumentar a disponibilidade e distribuição direcionada da naloxona é um componente fundamental de nossos esforços para reduzir as mortes por overdose relacionadas a opióides e, quando combinado com a disponibilidade de tratamento eficaz, para acabar com a epidemia de opióides", disse Adams em comunicado.

"Na maioria dos estados, as pessoas que são ou que conhecem alguém com risco de overdose de opióides podem ir a uma farmácia ou a um programa comunitário para receber treinamento em administração de naloxona e receber naloxona por 'pedido permanente', ou seja, sem uma prescrição para um paciente específico".

A naloxona, se administrada a tempo, pode reviver uma pessoa cuja respiração desacelerou ou parou devido a uma overdose.

O medicamento já é amplamente utilizado por equipes de emergência que respondem a chamadas de crises.

Mais de 64 mil pessoas morreram de overdose de drogas em 2016 nos Estados Unidos, com o aumento mais acentuado entre as mortes relacionadas ao fentanil, um opióide sintético que é frequentemente misturado com heroína.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, as mortes por overdose de prescrição e opiáceos ilícitos dobraram de 21.089 em 2010 para 42.249 em 2016.