Israel assegura que população judia mundial é inferior à de 1939

Jerusalém, 11 Abr 2018 (AFP) - Israel publicou nesta quarta-feira (11) cifras sobre a população judia global, afirmando que há menos judeus no mundo em 2018 do que em 1939, às vésperas da Segunda Guerra Mundial.

Israel dá início nesta quarta-feira à noite ao "Dia da Lembrança do Holocausto", termo para designar o extermínio de seis milhões de judeus pelo regime nazista, dos 16,6 milhões que viviam no mundo em 1939.

Segundo esta análise realizada pelo Escritório de Estatísticas, um organismo estatal em cooperação com o Centro de Estudos do Judaísmo Contemporâneo da Universidade hebreia de Jerusalém, no mundo vivem cerca de 14,5 milhões de judeus em 2018.

Israel é o país onde vive a maioria dos judeus, 6,4 milhões de pessoas, diante de menos de 450 mil em 1939, à frente dos Estados Unidos (5,7 milhões) e França, com pouco mais de 450 mil pessoas, de acordo com o estudo.

Há mais de 100 mil judeus em outros seis países, segundo o escritório: Canadá, Grã-Bretanha, Argentina, Rússia, Alemanha e Austrália.

A taxa de crescimento da população judia em Israel desde 1948 e a criação deste Estado se multiplicaram por dez. No resto do mundo, a taxa de crescimento se elevaria 26%, segundo o Escritório de Estatísticas.

Não detalham sob quais critérios de Judaísmo estão baseadas estas cifras. Estes são objeto de polêmica e podem mudar as estimativas do tamanho da população judia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos