Suposta vítima de Cosby o acusa de ser 'estuprador em série'

Norristown, Estados Unidos, 11 Abr 2018 (AFP) - O novo julgamento contra Bill Cosby por agressão sexual contou nesta quarta-feira (11) com depoimentos dramáticos de duas acusadoras, que declararam que o astro caído em desgraça as agrediu na década de 1980, enquanto o juiz negou um pedido da defesa de considerar nulo o julgamento.

Cosby, de 80 anos, pode passar o resto da vida atrás das grades se for considerado culpado de drogar e agredir sexualmente a ex-funcionária universitária Andrea Constand, hoje com 44 anos, em sua casa na Filadélfia em 2004.

A primeira das cinco acusadoras autorizadas a testemunhar afirmou nesta quarta que queria ver um "estuprador em série" condenado.

A segunda, que relatou em meio a lágrimas como foi drogada e agredida pelo ator quando era adolescente, disse: "você se lembra, não, senhor Cosby?".

A defesa pediu que o julgamento fosse declarado nulo, solicitação negada pelo juiz Steven O'Neill, lembrando ao júri que Cosby estava sendo julgado somente por uma suposta agressão contra Constand.

O primeiro julgamento contra o ator foi anulado em junho de 2017 porque o júri não chegou a um veredicto unânime.

A nova admissão do juiz de cinco testemunhas adicionais é considerada como o maior desafio da defesa, em um momento em que a acusação tenta apresentar Cosby como um predador em série.

"Quero ver um estuprador em série condenado", declarou Heidi Thomas, professora de Música do Colorado e mãe de quatro filhos que começou a falar publicamente de sua agressão quando viu outras mulheres testemunhando contra o ator. Nesta quarta-feira, afirmou que Cosby a agrediu em Nevada há 34 anos.

Chelan Lasha, então uma modelo adolescente, chorou em repetidos momentos ao narrar como foi drogada e agredida pela ex-estrela em Las Vegas em 1986. "Confiei nele", soluçou. "Me jogou na cama. Não conseguia me mexer depois daquilo".

Na terça-feira, o advogado de Cosby, Tom Mesereau, mais conhecido por conseguir a absolvição de Michael Jackson por abuso de um menor de idade, apresentou tranquilamente suas alegações iniciais no segundo dia de julgamento, realizado na Pensilvânia.

"O que ela quer de Bill Cosby?", perguntou Mesereau ao júri, se referindo a Constand. "Já sabem a resposta: dinheiro, muito mais dinheiro", disse.

Na segunda-feira, a Promotoria revelou que Cosby pagou a Constand 3,38 milhões de dólares em 2006 para saldar uma demanda civil sobre a suposta agressão sexual.

Diante das mais recentes declarações, a defesa pretende se focar em Andrea Constand, assim como fez na terça-feira, e fragilizar seu depoimento alegando incoerências e apresentando-a como uma "vigarista" em um processo que deve durar aproximadamente um mês.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos