Topo

Rebeldes sírios deixam região síria em função do ataque químico

12/04/2018 08h45

Beirute, Líbano, 12 Abr 2018 (AFP) - O grupo rebelde Yaish al Islam, que controlava a cidade síria de Duma, em Ghuta Oriental, afirmou que não lhes restou outra opção a aceitar a evacuação depois do suposto ataque químico atribuído ao regime de Damasco.

"Evidentemente, foi o ataque químico que nos levou a aceitar partir", declarou à AFP Yasser Delwan, chefe do birô político do grupo, cujos combatentes continuam abandonando Duma para zonas rebeldes no norte do país.

O regime sírio anunciou no domingo um acordo de evacuação que teria sido aceito pelo último grupo rebelde ainda presente em Ghuta.

Este anúncio aconteceu no dia seguinte a um suposto ataque químico, denunciado no sábado pelo grupo rebelde, e também por capacetes brancos, que falaram de dezenas de mortes.

Milhares de pessoas, combatentes acompanhados por suas famílias, e também civis, já deixaram Duma.

O líder do Yaich al Islam Issam Bouwaydani foi um dos evacuados. "Todos os líderes não partiram. As partidas continuam", disse Delwan.