UE prolonga sanções contra Irã por violação de direitos humanos

Bruxelas, Bélgica, 12 Abr 2018 (AFP) - A União Europeia (UE) prolongou por um ano, nesta quinta-feira (12), suas sanções contra pouco mais de 80 personalidades do Irã em resposta "às graves violações dos direitos humanos" nesse país - anunciou o Conselho do bloco.

"O Conselho prolongou até 13 de abril de 2019 suas medidas restritivas", que consistem "na proibição de viajar e no congelamento de ativos contra 82 pessoas e uma entidade", indicou essa instituição europeia em um comunicado.

Impostas em 2011 e prolongadas desde então, as medidas também implicam um embargo de exportações - ao Irã - de equipamentos que possam ser usados para a "repressão interna" e "para o controle de telecomunicações".

Os europeus impuseram essas sanções, que afetam principalmente autoridades policiais e militares, pela repressão das manifestações registradas entre junho e dezembro de 2009 contra a polêmica reeleição do então presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad.

Essas medidas não estão relacionadas com as sanções mais duras impostas a Teerã por seu programa nuclear e suspensas em janeiro de 2016, após o acordo nuclear firmado meses antes entre Teerã e as grandes potências do P5+1.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos