Cinegrafista que colaborava com AFP morre em bombardeio no Iêmen

Adem, 13 Abr 2018 (AFP) - O fotógrafo e cinegrafista iemenita Abdullah al-Qadry, que trabalhava para o canal de televisão Belqees e colaborava com a AFP, morreu nesta sexta-feira (13) em um bombardeio no centro do país, informaram o canal e vários de seus colegas.

Estava fazendo uma reportagem para o Belqees quando foi atingido, informou o canal iemenita em um comunicado.

Segundo as mesmas fontes, outros três jornalistas ficaram feridos neste bombardeios em Qaniyah, na província de Baida, que uma fonte de segurança iemenita atribuiu aos rebeldes huthis.

Abdullah al-Qadry morreu em decorrência de um grave ferimento no pescoço, informou um médico do hospital para onde foi levado.

A localidade de Qaniyah foi retomada pelas forças pró-governo há dois dias e violentos combates continuavam no setor.

O fotógrafo iemenita da AFP Saleh al-Obeidi foi gravemente ferido em abril de 2017 durante um bombardeio dos rebeldes perto de Mocca, no sudoeste do país.

Ao menos 15 jornalistas morreram no Iêmen desde 2015, informou em março o Comitê para a Proteção dos Jornalistas.

Há três anos no Iêmen as forças pró-governo, apoiadas pela Arábia Saudita e por seus aliados, enfrentam os rebeldes huthis, que, por sua vez, estão apoiados pelo Irã.

Os huthis controlam a capital Sanaa, entre outras zonas.

Cerca de 10 mil pessoas morreram e mais de 54 mil ficaram feridas, entre elas muitos civis, nesta guerra que provocou, segundo a ONU, "a pior crise humanitária do mundo".

mah-ras/bpe/acc/cb/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos