'Não podia lutar contra ele', diz acusadora de Bill Cosby em julgamento

Norristown, Estados Unidos, 13 Abr 2018 (AFP) - A mulher que acusou Bill Cosby de tê-la drogado e abusado dela há 14 anos disse, durante seu depoimento nesta sexta-feira (13), que quando o caso aconteceu estava "sem forças e não podia lutar contra ele".

O ex-ator de comédia de 80 anos pode passar o resto da vida atrás das grades se for considerado culpado de drogar e abusar sexualmente de Andrea Constand, de 45 anos, em janeiro de 2004, quando trabalhava na Universidade de Temple.

A ex-jogadora de basquete que hoje mora em Toronto se sentou no banco das testemunhas e deu seu depoimento no quinto dia de julgamento em Norristown, na Pensilvânia.

"Por justiça", disse Constand ao ser questionada pelo motivo de estar ali, após confirmar que recebeu 3,38 milhões de dólares de Cosby há 12 anos para encerrar uma ação civil.

O ex-ator olhava para Constand e para baixo enquanto ela respondia as perguntas.

Constand esteve no tribunal durante uma hora e quatro minutos antes que a Promotoria a levasse a abordar a noite em questão, quando foi à casa de Cosby para falar de sua iminente demissão.

Contou que o ator lhe ofereceu três comprimidos azuis, aos quais chamou de "seus amigos" para "ajudar a aliviar a dor", e disse que os tomou acreditando ser um remédio natural.

"Confiei nele", disse Constand.

Mas quando começou a ver tudo duplicado e a arrastar a fala, Cosby a encostou no sofá. "Estava muito assustada. Não sabia o que estava acontecendo", contou. "Sabia que algo estava errado e comecei a entrar em pânico".

- 'Estava sem forças' -Constand disse que quando voltou a si, Cosby estava atrás dela no sofá. "Minha vagina estava sendo penetrada com força", relatou. "Senti que estava tocando meus seios, e pegou minha mão, colocou sobre seu pênis e se masturbou com a minha mão".

"Queria que parasse. Não tinha forças e não podia lutar contra ele", relatou. "Estava realmente humilhada. Estava em estado de choque".

Constand testemunhou depois de outras cinco mulheres terem assegurado sob juramento que foram drogadas e agredidas por Cosby, homem que admiravam como mentor e que muitas vezes se fazia de amigo de suas famílias para ganhar sua confiança.

Cosby afirmou que naquela noite deu à mulher um anti-histamínico para diminuir o estresse e que o encontro foi consensual.

Nos últimos anos, 60 mulheres acusaram o ator de ser um predador sexual em série.

Mas Cosby só será julgado por três acusações de agressão contra Constand, já que os outros supostos delitos prescreveram.

Nesta sexta-feira, Constand disse que o ator lhe havia feito propostas sexuais em duas ocasiões anteriores, mas que em ambas as vezes havia respeitado a negativa dela.

Ao ser perguntada o motivo de ter continuado a amizade com ele, apesar desses avanços, Constand qualificou a situação de "absurda".

Cosby era "apenas um pouco mais jovem que o meu avô. Era um homem casado e eu nunca mostrei interesse. Não fui ameaçada e não o julguei", disse a mulher.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos