Combates contra extremistas do EI deixam 30 mortos na Síria

Beirute, 23 Abr 2018 (AFP) -









Pelo menos 30 combatentes morreram em confrontos entre forças do regime sírio e extremistas do grupo Estado Islâmico (EI), que intensificaram a violência há cinco dias no sul de Damasco - informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), nesta segunda-feira (23).

Há vários dias, as forças de Bashar al-Assad bombardearam o acampamento palestino de Yarmuk e bairros vizinhos controlados, em sua maioria, pelo EI, e situados na periferia sul da capital.

Desde quinta-feira, 15 combatentes pró-regime e 19 extremistas morreram nos embates, apontou o OSDH, acrescentando que pelo menos 12 civis, incluindo mulheres e crianças, morreram na última semana.

"As forças do regime continuam bombardeando os setores sul da capital com ataques aéreos, disparos de artilharia e foguetes", disse à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

Depois que o governo sírio anunciou a reconquista total dos territórios rebeldes em Ghuta Oriental, os novos alvos são os focos de resistência no sul de Damasco.

Trata-se de zonas controladas, em grande parte, pelo EI desde 2015.

Antes do início do conflito sírio em 2011, Yarmuk abrigava 160.000 pessoas, incluindo sírios. Hoje vivem lá apenas algumas milhares de pessoas.

Em sete anos, o conflito na Síria já deixou mais de 350 mil mortos, segundo o OSDH. Do total de vítimas, 106.390 são civis, entre elas 19.811 crianças.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos