Topo

Corte dos EUA confirma pena de 241 anos para assaltante adolescente

2018-04-23T14:59:00

23/04/2018 14h59

Washington, 23 Abr 2018 (AFP) - A Corte Suprema dos Estados Unidos rejeitou, nesta segunda-feira (23), a apelação de um homem condenado a 241 anos de prisão no Missouri por realizar uma sequência violenta de roubos a mão armada quando tinha 16 anos.

A decisão da corte máxima equivale a uma confirmação da sentença muito dura imposta a Bobby Bostic, que teoricamente poderá se beneficiar de liberdade condicional quando cumprir 112 anos.

Em 12 de dezembro de 1995, o então menor de idade cometeu vários roubos com um cúmplice de 18 anos. Ele disparou contra uma das vítimas, mas a bala lhe atingiu apenas de raspão.

Os dois jovens também atacaram uma mulher, cujo carro tinham roubado. Ao todo, Bostic foi acusado de 18 infrações penais, a maioria delas criminais.

A juíza da cidade de St. Louis, Evelyn Baker, que havia lhe condenado, tomou a decisão de acumular as sentenças, e não unificá-las.

Há muito tempo, Baker admitiu que a sentença de prisão de 241 anos, equivalente a uma pena perpétua, era desproporcional.

Em sua apelação ao Supremo Tribunal, Bostic pediu que voltasse a ser julgado, e que se beneficiasse da 8ª Emenda da Constituição dos Estados Unidos, que proíbe "castigo cruel ou inusual".