PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Polícia detém suposto assassino do jornalista mexicano Javier Valdez

24/04/2018 06h03

México, 24 Abr 2018 (AFP) -









O suposto responsável pelo assassinato do jornalista mexicano Javier Valdez, executado em 15 de maio passado no noroeste do país, foi detido em uma operação conjunta da polícia e da promotoria, informou nesta segunda-feira (23) o ministro de Governo (Interior), Alfonso Navarrete.

"Há alguns momentos detivemos o suposto responsável pelo homicídio do jornalista Javier Valdez, que infelizmente foi privado da vida no ano passado em #Sinaloa", escreveu Navarrete em sua conta no Twitter.

Após o anúncio de Navarrete, a revista Riodoce informou que o suposto homicida é um homem identificado como Heriberto "N", conhecido como 'El Koala', detido na segunda-feira à tarde em Tijuana, Baixa Califórnia (noroeste).

Heriberto "N" estaria ligado ao crime organizado em Sinaloa, segundo a Ríodoce.

"Se for comprovado que é realmente culpado, o autor material, precisamos saber por quê o mataram, quais foram os motivos e quem deu a ordem", disse à AFP Griselda Triana, viúva do jornalista.

Valdez, fundador do semanário Riodoce, no estado de Sinaloa, correspondente de La Jornada e colaborador da AFP durante uma década, foi morto a tiros em plena luz do dia e na rua, perto de seu escritório em Culiacán, sua cidade natal.

O jornalista é considerado a voz que rompeu o silêncio para denunciar o crime organizado em Sinaloa, reduto do chefão Joaquín "El Chapo" Guzmán, agora preso nos Estados Unidos.

Seu trabalho foi reconhecido em 2011 com o prêmio à Liberdade de Expressão do Comitê para a Proteção dos Jornalistas em Nova York.

Desde o ano 2000, mais de cem comunicadores foram assassinados no México, o que faz do país um dos pais perigosos para o exercício do jornalismo.

Em 2017 foram assassinados pelo menos 11, segundo a organização Repórteres sem Fronteiras. Este ano, ao menos dois foram mortos.

Internacional