PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Atriz pornô processa presidente americano por difamação

Atriz pornô Stephanie Clifford, também conhecida como Stormy Daniels, processa o presidente Donald Trump - Joshua Roberts/Reuters
Atriz pornô Stephanie Clifford, também conhecida como Stormy Daniels, processa o presidente Donald Trump Imagem: Joshua Roberts/Reuters

Nova York

30/04/2018 17h58

A atriz pornô Stormy Daniels, que assegura ter sido amante de Donald Trump, levou nesta segunda-feira (30) à Justiça, pela segunda vez, suas diferenças com o presidente dos Estados Unidos, e o processou por difamação por ele tê-la acusado de vigarista.

A atriz, cujo nome de batismo é Stephanie  Clifford, assegura ter tido uma relação com o presidente em 2006 e 2007, quando ele já estava casado com Melania e o filho dos dois era um bebê.

Em sua primeira ação, Clifford pediu a um juiz de Los Angeles que anulasse um acordo de confidencialidade que a impede de falar sobre o assunto, e pelo qual recebeu um pagamento de 130 mil dólares do advogado pessoal de Trump, Michael Cohen. Clifford argumenta que o acordo não é válido porque nunca foi assinado por Trump.

Nesta segunda-feira, a suposta ex-amante de Trump apresentou um processo ao tribunal federal de Nova York, dando mais atenção a um tema que a Casa Branca parece querer silenciar.

Em sua demanda, apresentada pelo advogado da atriz, Michael Avenatti, ela quer 75 mil dólares de Trump pela suposta difamação que o presidente causou ao chamá-la de vigarista em sua conta no Twitter, que conta com 50 milhões de seguidores.

No fim de março, a atriz revelou detalhes de sua suposta relação com Trump em uma entrevista com a CNN, e disse que, em 2011, quando tentava vender sua história à revista Touch, foi ameaçada por um desconhecido em um estacionamento em Las Vegas.

Clifford disse que estava no carro com seu bebê e que o homem sugeriu que a criança seria prejudicada se a atriz falasse publicamente da relação com o presidente.

Segundo a imprensa americana, a história nunca foi publicada porque Michael Cohen ameaçou processar a revista.

Em abril passado, a atriz fez um retrato do homem desconhecido que foi divulgado na televisão. Seu advogado ofereceu uma recompensa de 100 mil dólares por informações sobre ele.

No dia seguinte, Trump ridicularizou a atitude em um tuíte e declarou que se tratava de um desenho feito "anos depois, de um homem que não existe". Assegurou que tudo é uma "fraude" de Clifford à imprensa.

A ex-modelo da Playboy Karen McDougal, que também assegura ter tido uma aventura com Trump e apresentou uma ação para escapar de um contrato que a impedia de contar sua história, chegou a um acordo amigável em 18 de abril que lhe permitia divulgá-la.

Internacional