Os primeiros dias de degelo no arquipélago de Merenkurkku, na Finlândia

Vaasa, Finlândia, 2 Mai 2018 (AFP) -

O degelo é lento, muito lento, e enlameado. Mas, neste arquipélago do oeste da Finlândia, é o prelúdio do bom tempo, das férias e de um verão agora já não tão distante. E uma antecipação da alegria que ocupará os píeres.

Terra adentro, os proprietários de barcos retiram as lonas de proteção e começam a preparar suas embarcações para navegar até suas cabanas de veraneio no arquipélago Merenkurkku, no golfo de Botnia, o qual prolongará o mar Báltico até o norte quando o degelo estiver mais avançado.

Enquanto isso, nessa zona inscrita no patrimônio mundial da Unesco, o degelo cria texturas turvas, como a espuma sobre a terra ocre em alguns lugares. Ou os efeitos de transparência que surgem quando os charcos de água verde recobrem o gelo que vai derretendo e se quebra, formando linhas que ziguezagueiam na paisagem.

Em pleno inverno, o gelo alcança 50 centímetros de espessura. Desde as primeiras chuvas de abril, começa a se fundir pela parte superior. E as temperaturas positivas, agora habituais à noite, derretem-no também por baixo.

Finas camadas de gelo, ou de neve, voam e se dispersam pela água, suavemente, como poeira de inverno. Lentamente, muito lentamente. O degelo dura dois meses.

Aos poucos, o lodo, vermelho, ou alaranjado, alegra essa paisagem em decomposição, trazendo a promessa de um renascimento.

olm-ger/gab/lch/acc/mb/tt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos