Pastor americano permanece detido na Turquia

Aliaga, Turquia, 7 Mai 2018 (AFP) -

Um pastor americano julgado na Turquia por supostas ligações com grupos "terroristas" foi mantido preso nesta segunda-feira (7) após uma nova audiência, medida que pode intensificar as tensões entre Ancara e Washington.

O tribunal de Aliaga, na província de Esmirna (oeste), justificou a manutenção do pastor Andrew Brunson na prisão pelo "risco de fuga", de acordo com um correspondente da AFP no local.

O processo foi adiado para 18 de julho.

"O que mais posso dizer? Eu gostaria de voltar para casa", declarou o pastor ao juiz.

O pastor, que foi preso em outubro de 2016, tentou durante todo o dia negar ter ajudado grupos "terroristas", diante das testemunhas de acusação.

Andrew Brunson, que dirigia uma pequena igreja protestante em Esmirna, pode ser sentenciado a 35 anos de prisão. Seu processo foi aberto em 16 de abril.

As autoridades turcas o acusam de agir em nome da rede do pregador Fetullah Gülen, a quem Ancara acusa de ser o mentor do golpe fracassado de julho de 2016, mas também em nome do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Essas duas organizações são consideradas terroristas pela Turquia.

fo-ezz/neo/gh/age/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos