Raiva, receio, apoio: como o mundo vê a saída dos EUA do acordo com o Irã

Washington, 8 Mai 2018 (AFP) -

A decisão do presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã despertou reações furiosas em Teerã, arrependimento na Europa e comemorações de Israel e Arábia Saudita.

Veja abaixo uma seleção de reações pelo mundo à maior decisão de política externa de Trump desde que chegou à Presidência.

- 'Guerra psicológica' -"Essa ação foi um ato de guerra psicológica contra o Irã".

-- Presidente iraniano Hassan Rohani

- Retomada de enriquecimento de urânio? -"Ordenei à Organização de Energia Atômica que tome as medidas necessárias para que, se for preciso, retome o enriquecimento industrial sem limites".

-- Rohani

- Manter o acordo -"Mantenha-se fiel aos seus compromissos, como nós nos manteremos aos nossos, e juntos, com o restante da comunidade internacional, preservaremos o acordo nuclear".

-- Chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini

- 'Lamentam' -"A França, a Alemanha e o Reino Unido lamentam a decisão americana de sair do acordo nuclear. O regime internacional de luta contra a proliferação nuclear está em jogo. Vamos trabalhar coletivamente em um quadro mais amplo, que cubra a atividade nuclear, o período pós-2025, as atividades balísticas e a estabilidade no Oriente Médio, especialmente em Síria, Iêmen e Iraque".

-- Presidente francês Emmanuel Macron, no Twitter

- Decepção -"Estamos profundamente decepcionados com a decisão do presidente dos EUA Donald Trump de unilateralmente se recusar a cumprir os compromissos do acordo".

-- Ministério de Relações Exteriores da Rússia

- Compromisso -"Peço aos outros participantes do acordo que cumpram integralmente seus respectivos compromissos no âmbito do pacto e a todos os outros Estados-membros que apoiem este pacto".

-- Secretário-geral da ONU, António Guterres

- 'Decisão corajosa' -"Israel apoia totalmente a decisão corajosa tomada pelo presidente Trump de rejeitar o desastroso acordo nuclear com o regime terrorista de Teerã".

-- Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu

- Apoio dos sauditas -"O reino apoia (...) os passos anunciados pelo presidente dos Estados Unidos para se retirar do acordo nuclear (...) e restabelecer as sanções econômicas contra o Irã".

-- Ministério das Relações Exteriores saudita

- 'Erro grave' -"A realidade é clara. O JCPOA (Plano de Ação Conjunto Global) está funcionando (...) Eu acho que a decisão de colocar o acordo em risco sem nenhuma violação iraniana do acordo é um erro grave".

-- Ex-presidente americano Barack Obama, cujo governo assinou o acordo de 2015.

- Novos conflitos? -"A saída unilateral dos Estados Unidos do acordo é uma decisão que vai causar instabilidade e novos conflitos"

-- Porta-voz da Presidência turca, Ibrahim Kalin

- 'EUA não respeitam compromissos' -"A Síria condena com força a decisão do presidente americano (...) que mostra mais uma vez que os Estados Unidos não respeitam seus compromissos e os acordos internacionais"

-- Ministério de Relações Exteriores da Síria, citado pela agência oficial Sana

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos