Senador republicano McCain rejeita Haspel na direção da CIA

San Francisco, 10 Mai 2018 (AFP) -

O senador dos Estados Unidos John McCain pediu nesta quarta-feira aos seus colegas congressistas que rejeitem a nomeação de Gina Haspel para a direção da CIA devido ao papel que desempenhou no passado na tortura de prisioneiros no exterior.

McCain, presidente do Comitê de Serviços Armados do Senado, foi torturado quando era prisioneiro no Vietnã do Norte.

O senador sofre de um câncer de cérebro e dificilmente votará sobre a indicação de Haspel, mas é muito respeitado entre os políticos americanos e suas opiniões têm um peso significativo.

"O papel da senhora Haspel no exterior sobre a tortura aplicada por americanos é alarmante. Sua rejeição em reconhecer a imoralidade da tortura é inabilitante. Acredito que o Senado deve exercer sua obrigação de assessoramento e rejeitar esta nomeação".

Entre 2001 e 2004, Haspel foi subdiretora do Centro Antiterrorismo, que liderava o chamado programa de "interrogatório reforçado", e depois chefiou a equipe de José Rodríguez, encarregado do programa.

Durante parte deste período, supervisionou uma prisão secreta da CIA em Bangkok, onde os suspeitos de integrar a Al-Qaeda Abu Zubaydah e Abd al-Rahim al-Nashiri foram torturados de maneira reiterada com afogamentos durante longos interrogatórios.

McCain foi ferido e capturado em ação no Vietnã quando era piloto da Marinha, em 1967, e permaneceu detido até 1973.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos