Condenados à morte oito suspeitos de integrarem Estado Islâmico no Irã

Teerã, 13 Mai 2018 (AFP) - A Justiça iraniana condenou à morte oito supostos membros do grupo Estado Islâmico (EI) acusados de terem cometido dois atentados em junho de 2017 em Teerã - informou neste domingo a agência Mizan on-line.

Foram os primeiros ataques reivindicados pelo grupo extremista sunita no país.

"Os oito acusados também foram considerados culpados de rebelião", declarou o presidente da corte, segundo a agência da autoridade judicial.

O processo começou em 28 de abril. Os condenados podem apelar do veredicto.

Em 7 de junho de 2017, 17 pessoas foram assassinadas, e dezenas ficaram feridas em atentados contra o Parlamento e o mausoléu do aiatolá Khomeini em Teerã.

Cinco agressores foram abatidos no momento do ataque.

Alguns dos condenados tiveram função de apoio e assistência aos agressores.

No final de abril, durante a primeira audiência do processo, a agência Mizan on-line informou que havia 26 acusados neste caso. Foram detidos nas semanas que se seguiram aos ataques.

Teerã deu ajuda militar aos governos sírio e iraquiano para combater o grupo EI, enviando para ambos os países conselheiros militares e "voluntários".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos