Principal opositor de Putin é condenado a 30 dias de prisão por manifestação proibida

Moscou

  • Tatyana Makeyeva/Reuters

    Opositor do governo russo, Alexei Navalny compare a audiência após organizar protestos

    Opositor do governo russo, Alexei Navalny compare a audiência após organizar protestos

O principal opositor ao governo russo, Alexei  Navalny, foi condenado nesta terça-feira (15) a 30 dias de detenção por ter organizado uma manifestação não autorizada e que foi dispersada pela polícia.

Navalny "é culpado nos termos do Artigo 20.2 (sobre a organização de manifestações não autorizadas) e condenado a 30 dias de detenção administrativa", declarou o juiz Dmitry  Gordeyev.

O opositor deve agora ser julgado por outro delito, por desobedecer as forças de ordem, mas poderia evitar a prisão imediata se recorrer da decisão judicial.

"Já me condenaram a 30 dias, mas o julgamento continua. Estão analisando outro caso", explicou Navalny no Twitter.

Acostumado aos julgamentos, Navalny, de 41 anos, multiplicou nos últimos meses as manifestações para pressionar o Kremlin, após ter sido declarado inapto para participar das presidenciais de 18 de março, vencidas sem surpresa por Putin.

Sob a consigna "Não é nosso czar", o opositor convocou em 5 de maio que seus partidários fossem às ruas. Milhares de pessoas se reuniram em muitas cidades do país.

De acordo com a organização OVD-Info, especializada no monitoramento das prisões, pelo menos 1.599 partidários de Navalny foram detidos pela polícia durante o dia, incluindo 702 em Moscou, 232 em São Petersburgo e 164 em Chelyabinsk, nos Urais.

Sua última prisão ocorreu em fevereiro, após uma manifestação similar em janeiro, sem levar a processo ou condenação.

Ao deixar o tribunal, cuja entrada foi bloqueada por policiais, alguns poucos partidários de Navalny acompanhavam ao vivo o julgamento do opositor por seus celulares.

"Devemos estar aqui para apoiar Navalny", declarou à AFP um jovem também chamado Alexei.

Para ele, os 30 dias de detenção decretados mostra o desejo das autoridades russas de impedir o opositor de organizar uma nova manifestação em 12 de junho, feriado nacional na Rússia.

Em outubro, Navalny foi condenado a 20 dias de prisão por convocar protestos não autorizados.

Esta nova condenação ocorre dias depois da tomada de posse de Putin para um quarto mandato, até 2024, 25 anos depois de sua chegada ao poder.

Durante seu terceiro mandato, Putin foi mais rígido com a oposição e endureceu a lei sobre a liberdade de manifestação e a violência contra as forças de ordem.

Uma nova lei, que prevê multas e períodos de detenção para as pessoas que incitarem os menores de idade a participar de protestos não autorizados, foi apresentada na Duma, Câmara baixa do Parlamento russo, onde o partido no poder, Rússia Unida, é majoritário.

Alexei  Navalny tem uma forte popularidade entre a juventude russa e suas manifestações mobilizam muitos adolescentes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos