Grupo Estado Islâmico reivindica ataque na Bélgica, em luto pelas vítimas

Bruxelas, 30 Mai 2018 (AFP) - O grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta quarta-feira (30) o ataque efetuado na véspera na cidade belga de Liège por um indivíduo que matou duas policiais e um estudante, segundo o órgão de propaganda extremista Amaq.

"O autor do ataque na cidade de Liège, na Bélgica, é um soldado do Estado Islâmico", informou o grupo em um comunicado publicado pela Amaq.

O dia foi de homenagens às vítimas na Bélgica. Bandeiras em várias cidades do país foram hasteadas a meio mastro e em Liège, o premiê Charles Michel fez um minuto de silêncio juntamente com cerca de mil pessoas e um número expressivo de policiais visivelmente emocionados.

Os Diabos Vermelhos, equipe nacional que se prepara para a Copa do Mundo, fez um minuto de silêncio antes de uma sessão de treinos em Tubize.

Antes mesmo do comunicado da Amaq, os investigadores já privilegiavam a hipótese terrorista e suspeitavam que o autor, morto pela polícia, já tivesse matado um homem na noite anterior ao massacre.

Agora, tentam esclarecer o percurso de Benjamin Herman, um delinquente de 31 anos que teria se radicalizado. Herman foi morto na manhã de terça-feira pela polícia depois de fazer uma refém.

O autor do ataque, identificado pelo MP como Benjamin H., um belga nascido em 1987, "gritou em várias ocasiões 'Allahu Akbar'" (Alá é grande) e "esteve em contato com pessoas radicalizadas" em 2016 e no início de 2017.

A Procuradoria Federal examina agora se o criminoso atuou sozinho e busca "determinar se as sus motivações eram ou não terroristas", afirmou Roggen.

"Registramos sinais de que ele se radicalizou na prisão, mas será que foi esta radicalização que o levou a estas ações? Há muitas questões a serem respondidas e vamos aguardar o resultado da investigação", havia declarado pouco antes o ministro belga do Interior, Jan Jambon.

O MP explicou que o autor do ataque era fichado pela justiça desde que era menor de idade e que já havia sido condenado por roubo com violência e consumo de entorpecentes, entre outros crimes comuns.

- Homicídio antes de ataque -O autor do ataque "também é suspeito de um assassinato cometido em On" na segunda-feira à noite, poucas horas depois de sair da prisão de Marche-en Famenne (sul) com uma permissão penitenciária que expirava às 19H30 de terça-feira.

"As circunstâncias exatas dos fatos são objeto de uma investigação distinta", completou a porta-voz da Procuradoria belga. De acordo com a imprensa local, o falecido era um viciado em drogas e foi vítima de marteladas.

Após o triplo homicídio, Benjamin Herman, nascido em janeiro de 1987, fez uma funcionária de um grupo escolar refém, levando à evacuação dos estudantes, segundo as autoridades. Nenhuma criança foi ferida.

"Fiquei impressionado com a conversa que ela teve com o terrorista", disse Jambon na quarta-feira sobre a funcionária sequestrada. "Ela foi muito corajosa e talvez tenha evitado mais vítimas na escola", disse ele à rádio Bel-RTL.

Em um vídeo amador que a AFP obteve é possível ouvir claramente o agressor gritar "Allah Akbar" enquanto caminhava pela rua.

Por volta das 10h30 (5h30 de Brasília) de terça-feira em uma das principais ruas do centro de Liège, o atacante esfaqueou as duas policiais pelas costas, antes de pegar suas armas e executá-las.

Ele então matou uma terceira pessoa, atirando em um estudante de 22 anos em um carro estacionado nas proximidades.

Na prisão, ele cumpria uma série de sentenças curtas combinadas e seria libertado em 2020, segundo indicou nesta quarta-feira o ministro da Justiça da Bélgica, Koen Geens. Os serviços penitenciários consideraram que "ele não representava perigo terrorista", acrescentou.

A Bélgica, atingida por ataques jihadistas que deixaram 32 mortos em 22 de março de 2016, já foi palco de vários atentados contra soldados ou policiais.

Consultado na terça-feira, o Ocam, o órgão responsável por avaliar a ameaça terrorista na Bélgica, decidiu manter inalterado no nível 2 correspondente a uma ameaça considerada "improvável".

bur-cds/mad/mr/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos